Mentira ou verdade? – Dia 01 de Abril

Provavelmente todos conhecem algo a respeito do dia 01 de Abril, o chamado “Dia da Mentira”. Talvez já foi vítima de uma “brincadeira” nesse dia. Contudo, antes de falar um pouco mais desse lado, vamos ver alguns acontecimentos históricos dessa data:

  • 325 — O príncipe Cheng de Jin, de quatro anos de idade, sucede ao seu pai Ming de Jin como imperador da dinastia Jin Oriental.
  • 1625 — A frota luso-espanhola de 52 navios começa a reconquista da Bahia dos holandeses durante a Guerra Luso-Holandesa.
  • 1933 — Os recentemente eleitos nazistas, sob a liderança de Julius Streicher, organizam um boicote de um dia a todas as empresas de propriedade de judeus na Alemanha, dando início a uma série de atos antissemitas.
  • 1945 — Segunda Guerra Mundial: Operação Iceberg: tropas dos Estados Unidos desembarcam em Okinawa, na última grande campanha da guerra.
  • 1964 — Início do regime militar no Brasil…
  • … e muitas outras coisas mais.

Mas por que esse dia ganhou o apelido de “Dia da Mentira”? 

Diz-se que a brincadeira surgiu na França. Desde o começo do século XVI, o Ano Novo era festejado no dia 25 de março, data que marcava a chegada da primavera. As festas duravam uma semana e terminavam no dia 1 de abril.

Em 1564, depois da adoção do calendário gregoriano, o rei Carlos IX de França determinou que o ano novo seria comemorado no dia 1 de janeiro. Alguns fanceses resistiram à mudança e continuaram a seguir o calendário antigo, pelo qual o ano se iniciaria a 1 de abril. Gozadores passaram então a ridicularizá-los, a enviar presentes esquisitos e convites para festas que não existiam. Essas brincadeiras ficaram conhecidas como plaisanteries.

No Brasil, o primeiro de abril começou a ser difundido em Minas Gerais, onde circulou A Mentira, um periódico de vida efêmera, lançado no 1º de abril de 1828, com a notícia do falecimento de Dom Pedro, desmentida no dia seguinte. A Mentira saiu pela última vez a 14 de setembro de 1849, convocando todos os credores para um acerto de contas no dia 1º de abril do ano seguinte, dando como referência um local inexistente.

Mais um 01 de Abril se aproxima, e com certeza muitos já estão preparando as pegadinhas “inofensivas” para brincar, ainda que sejam baseadas em uma mentira. Seria isso uma atitude correta de um cristão?

Temos alguma orientação na Bíblia? 

Podemos com certeza abrir nossas Bíblias e ler:

“Por isso deixai a mentira, e falai a verdade cada um com o seu próximo; porque somos membros uns dos outros” (Ef 4:25).

Ou também:

“Vós tendes por pai ao diabo, e quereis satisfazer os desejos de vosso pai. Ele foi homicida desde o princípio, e não se firmou na verdade, porque não há verdade nele. Quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso, e pai da mentira” (João 8:44).

Entre os muitos textos que encontramos, sugiro que meditemos apenas nesses dois, e com certeza perceberemos que a mentira, seja ela grande, pequena, sem efeito (será que existe isso mesmo?), ou de brincadeira, não é uma prática adequada para o cristão. Não oferece edificação e não demonstra uma boa atitude diante de Deus e da sociedade.

Então pense nisso neste 01 de Abril — antes de participar de qualquer brincadeirinha.

Aproveitando a oportunidade, queremos oferecer para você leitor e amigo uma ajuda para a sua edificação. Por isso, em qualquer compra até o dia 01 de Abril inclusive, você ganhará uma assinatura de 1 ano da nossa revista eletrônica “Leituras Cristãs” totalmente gratuíta e sem compromisso (e, caso já tenha, pode oferecê-la a um amigo).

Para conhecer a revista um pouco mais, clique aqui.