No caminho para seu lugar de repouso em Jerusalém, a arca de Deus fez um desvio para a casa de Obede-Edom. Isso ocorreu devido a tentativa mal sucedida de Davi de transportar ela contrariamente à “ordenança” (1 Crônicas 15:13).

  A arca permaneceria com Obede-Edom três meses, com o resultado que havia bênção para sua casa! Depois aprendemos qual foi a bênção, quando lemos que ele tinha oito filhos “porque Deus o tinha abençoado” (1 Crônicas 26:5). Aprendemos também que ele teve sessenta e dois descendentes e que eles se tornaram “porteiros” no templo. O cronista descreve todos eles como “homens valentes” e como “homens capazes e robustos para o serviço” (26:7-8). Sessenta e dois bons descendentes, todos envolvidos no trabalho do Senhor — que bênção!

  Foi a arca de Deus que trouxe essa bênção à casa de Obede-Edom. A arca é uma figura de Cristo, Deus e Homem em uma Pessoa, e a presença de Deus com Seu povo através de Cristo. A história de Obede-Edom é cheia de ricos ensinamentos “para aviso nosso, para quem já são chegados os fins dos séculos” (1 Coríntios 10:11). A bênção do Senhor virá às nossas famílias se nós hospedarmos a Cristo. Se Ele é o divino convidado, nossos lares certamente serão ricamente abençoados — não pode haver bênção longe dEle — e isso certamente terá uma influência direta na casa de Deus. As reuniões dos crentes somente são tão fortes e tão espirituais quanto as famílias que ali se congregam. Os filhos e netos de Obede-Edom foram homens fortes e porteiros no templo — essa foi a bênção resultante da estadia da arca em seu lar. A preeminência de Cristo em nossos lares resultará em bênção à igreja.