Um homem jovem, duma família cristã, colocou sua fé em Cristo, o Filho de Deus, quando era bem novo, confessando seus pecados para Ele, tanto quanto podia lembrar-se deles. Todavia, ele não tinha certeza se Deus o tinha verdadeiramente perdoado e aceitado.

  Uma noite seu pai lhe deu um folheto cristão para ler. Para sua surpresa, o mesmo forneceu a resposta para sua pergunta secreta: “Eu estou salvo?”. Isso o havia incomodado por algum tempo. Ocasionalmente ele se sentia seguro, mas então, novamente, começava a pensar se tudo aquilo não passava de uma ilusão. Seria ele alguém que desejava a salvação, mas que não a possuía?

  O folheto tratou dessa questão. Ele explicava que uma pessoa não deveria considerar seus pensamentos e sentimentos, e nem mesmo suas crenças ou dúvidas, mas apenas as afirmações da Palavra de Deus. Se Deus declara que qualquer um que crer em Cristo tem vida, então isso é verdade, mesmo que os sentimentos de alguém levantem dúvidas.

  Algum tempo depois, num encontro de jovens, nosso amigo recebeu encorajamento durante a pregação na qual foi enfatizado que Deus termina toda obra que Ele começa. Ele ouviu: “Deus começou a boa obra nos seus corações, e Ele irá completá-la. Por meio de Seu Espírito, Ele mesmo irá conceder a vocês a alegria e a certeza da salvação”.

(Continua)