Vem porventura a candeia para se meter debaixo do alqueire, ou debaixo da cama?

Marcos 4:21

A CAMA

Ontem vimos que a luz do nosso testemunho acerca do Senhor pode ser completamente coberta pelas ocupações da vida diária. Mas a nossa insensibilidade natural e o amor pelo conforto podem nos levar ao mesmo efeito. Talvez o Senhor tenha colocado um determinado serviço em nosso coração que devemos cumprir, mas nós nunca chegamos a realizá-lo.

Talvez existam grandes resoluções do coração, como houve entre as divisões de Rúben (Juízes 5:15-16), mas nada acontece. Não é surpreendente se alguém não consegue se esforçar porque o desejo por paz e uma vida fácil tem precedência sobre as extenuantes demandas do campo de batalha.

Que desculpas nós encontramos! O nosso trabalho diário pode ser tão extenuante, o tempo tão frio e úmido, ou o ar em nossos locais de reunião tão opressivo, as pessoas podem ser ingratas e até mesmo repugnantes, lidar com elas é tão cansativo! De repente a candeia desapareceu debaixo da cama. Somente um brilho tênue de luz revela sua existência — mas não é de utilidade a ninguém.

Será que as nossas candeias, sua e minha, ocasionalmente ficaram debaixo do alqueire ou da cama, em vez de brilhar forte para o nosso Senhor, para o benefício da nossa vizinhança? Será que a sua luz não está faltando no nosso círculo familiar, na nossa comunhão e no nosso contato com o mundo? A Palavra de Deus nos chama a andar “como filhos da luz… Por isso diz: Desperta, tu que dormes, e levanta-te dentre os mortos, e Cristo te esclarecerá” (Efésios 5:8,14).

(Concluído)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *