Levanta-te, ó Deus, pleiteia a tua própria causa; lembra-te da afronta que o louco te faz cada dia.

Salmo 74:22

MEDITAÇÕES SOBRE O LIVRO DOS SALMOS (Leia Salmo 74)

  O grande “por que” com o qual este salmo começa é similar à grande questão do Salmo 22:1. Mas a rejeição de Israel — por um tempo — era para que o povo finalmente entendesse a causa: seus próprios pecados (Zacarias 12:10; Isaías 59:2). Cristo foi desamparado, porém, a causa era bem diferente: nossas iniquidades. O terceiro livro dos Salmos nos mostra não somente a tribo de Judá, mas todos os fiéis das doze tribos. Esses fiéis sofredores olham com angústia para as ruínas do santuário, o consequente término da adoração pública e a opressão de seus poderosos inimigos. Eles não tinham nenhuma palavra profética da parte do Senhor para encorajá-los; pelo contrário, perceberam que foi o próprio Deus que permitiu tal assolação. No entanto, a confiança deles estava nAquele que é “desde a antiguidade” (v. 12), e em Seus poderosos feitos de libertação a favor de Seu povo. Eles repetem “Lembra-te” (vv. 2, 18, 22). Sabem que são Seus redimidos, e, portanto, o inimigo que ataca Israel e a adoração pública está, na verdade, desprezando e atacando o próprio Deus (vv. 10, 18). E o Senhor não falhará em pleitear Sua própria causa (v. 22).

Você vai se maravilhar cada vez mais ao estudar os salmos. Contudo, sem compreender bem a diferença entre Israel e a Igreja, segundo os pensamentos de Deus, muitas conclusões vão ser tiradas de forma errada. Esse livrete ensina a respeito disso com clareza. Por isso, clique já aqui e receba em breve.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *