Lucas 8:1-15

Junto aos discípulos havia algumas mulheres piedosas que seguiam o Senhor e “lhe prestavam assistência com os seus bens”. O que elas fizeram por Jesus é mencionado em conseqüência daquilo que Ele antes havia feito por elas (v. 2).

Os versículos 4-15 contêm a parábola do semeador e sua explicação. Três coisas causam a esterilidade do solo: os pássaros, figura do diabo (v. 12); a pedra, figura aqui do coração árido, fechado para toda ação profunda e duradoura; por último os espinhos, que nos falam do mundo com seus cuidados, riquezas e deleites (v. 14). Contudo, até mesmo o melhor dos solos deve ser primeiramente preparado. Isto pode ser uma operação dolorosa para o solo que tem de ser lavrado, revolvido várias vezes, sulcado, antes de estar numa condição apropriada para a semente penetrar e germinar. É assim que Deus prepara a consciência daqueles que hão de receber a Sua Palavra (e isso freqüentemente se dá por meio de provações).

Mas esta preparação não ocorre nos três primeiros tipos de solo. É inútil lavrar um caminho continuamente pisoteado e impossível lavrar na pedra. Quanto aos espinhos, é necessário que se faça primeiramente uma limpeza, pois as raízes do mundo no coração são muitas vezes bastante profundas.

O que caracteriza todos os solos é que todos ouvem a Palavra. Mas reter a Palavra e frutificar com perseverança é próprio da boa terra (v. 15).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *