John Nelson Darby – autor da Sinopse dos Livros da Bíblia

John Nelson Darby (1800-1882)

John Nelson Darby nasceu no dia 18 de novembro de 1800, em Westminster, no Reino Unido. Era o filho mais novo de uma família aristocrática irlandesa muito conhecida. Seu pai, John Darby, lorde de Leap Castle, no condado de Kings, era descendente de uma antiga família normanda. Sua mãe, que morreu quando ele ainda era bem jovem, descendia da conhecida família Vaughan, do País de Gales. O fato de o famoso general de marinha, lorde Nelson, ter sido padrinho do pequeno John a pedido dos pais mostra
como a família era influente — foi em honra do lorde que o menino recebeu o segundo nome de Nelson.

Assista a uma breve apresentação.

John estudou na Westminster School e, por desejo do pai, cursou a Trinity College em Dublin, na Irlanda, a partir de 1815. Ele concluiu com méritos a primeira parte de seus estudos em 1819, pois recebeu a Classical Gold Medal, a distinção mais alta daquela instituição de ensino. Em seguida, cursou a faculdade de direito, que concluiu em 1822. Por causa da consciência, John renunciou às excelentes perspectivas oferecidas
pela profissão de acordo com advogado. Já em 1820, entrou em profunda crise interior. Ele optou por uma vida ascética: jejuava, praticava exercícios religiosos e frequentava regularmente os cultos da igreja, porém
ainda não havia chegado à clareza de fé. Em uma carta datada de 1871, escreve: “Depois de ter me convertido pela graça do Senhor, ainda passei uns seis ou sete anos sob a vara disciplinadora da Lei. Sentia que Cristo era o único Salvador, porém ainda não podia afirmar que O possuía ou que fora salvo por meio dEle. Eu orava, jejuava e dava esmolas — coisas que sempre são boas quando feitas de forma espiritual —, mas não tinha paz interior.
Ainda assim, sentia que, se o Filho de Deus dera a Si Mesmo por mim, então eu pertencia a Ele de corpo e alma e com todas as minhas posses. Por fim, Deus me deixou entender que eu estava em Cristo, unido com Ele pelo
Espírito Santo.”

Nada sabemos ao certo com relação aos seus estudos no período de 1822 a 1825, senão que ele alimentava a ideia de optar por uma carreira eclesiástica. Seu pai ficou tão indignado que acabou por deserdar o filho.
Um tio, porém, deixou-lhe de herança uma considerável fortuna, que garantiu a John a independência financeira durante toda a sua vida.
Em 1825, John foi ordenado diácono e, no ano seguinte, sacerdote da Igreja Anglicana. Sua primeira paróquia foi Calary, no condado de Wicklow, na
Irlanda. No tempo que esteve ali, não poupou esforços para cuidar dos membros da paróquia, a maioria muito pobre.

Já nessa época, a sua opinião quanto à igreja estatal foi abalada, como demonstra o primeiro panfleto que escreveu, Considerations Addressed to the Archbishop of Dublin etc. [Considerações dirigidas ao arcebispo de
Dublin etc.], datado de 1827. Nesse escrito, ele toma posição contra a decisão do arcebispo William Magee, que queria forçar os católicos a ingressar em massa na Igreja Anglicana e a jurar lealdade ao rei britânico.
A determinação e a coragem de John resultou em uma repreensão oficial. Desse modo, ele foi se desiludindo cada vez mais com a igreja estatal.
Durante uma cavalgada pela paróquia, John sofreu uma queda e o ferimento na perna foi tão grave que ele teve de permanecer em Dublin durante todo o inverno de 1827/ 1828 para tratamento. Então utilizou esse
tempo para se aplicar a um estudo intenso da Bíblia, e foi quando, aparentemente, encontrou a verdadeira e profunda paz com Deus que há tantos anos lhe faltava, como revelara em sua carta.

Durante a sua permanência em Dublin, conheceu John Gifford Bellett, Edward Cronin, Francis Hutchinson e outro homem, conhecido por Brooke.
Após o seu retorno à paróquia, ele renunciou ao ofício de sacerdote, embora ainda não se desligasse da igreja oficial. Assumiu um cargo na Missão Interna (instituição apoiada pela Igreja Anglicana destinada
à obra missionária no interior do país) e até o ano de 1832, de maneira muito abençoada, anunciou o evangelho aos católicos da Irlanda.
Várias fontes dão conta de que, desde aquele inverno em Dublin, ele se reuniu diversas vezes com os novos amigos para o partir do pão. Entre esses amigos, estava também Anthony Norris Grove. Tornou-se cada
vez mais claro para o grupo o pensamento de Deus com respeito à igreja do Deus vivo, à volta de Cristo, à ação do Espírito Santo e aos dons e ofícios na igreja.

Entre 1827 e 1832, aconteceram também as reuniões conhecidas com Conferências de Powerscourt, que ajudaram a esclarecer biblicamente os assuntos em questão. Finalmente, John Nelson Darby desligou-se
oficialmente da Igreja Anglicana. Os conhecimentos adquiridos por ele e seus amigos eram resultado de estudos bíblicos sóbrios e diligentes. Eles conservavam com firmeza todas as bases da fé cristã, e o seu alvo era anunciar outra vez o evangelho em sua simplicidade, pureza e plenitude
originais. Além das grandes verdades da Reforma, já em parte de novo perdidas naqueles dias, John e seus irmãos passaram a proclamar verdades esquecidas ou obscurecidas desde os dias dos apóstolos, a saber:

• A igreja (eclésia) de Deus, o Corpo de Cristo, engloba todos os verdadeiros crentes que desde o dia de Pentecostes (Atos 2), estão ligados a Cristo, sua Cabeça, no céu por meio do Espírito Santo (Efésios 4:4).
• Essa unidade encontra a sua expressão na Ceia do Senhor à Sua Mesa (1 Coríntios 10:17).
• A volta do Senhor para arrebatamento dos crentes antes dos juízos finais é o próximo grande evento esperado pelos cristãos (1 Coríntios 15:51-54; 1
Tessalonicenses 4:16—5:2).
• Todos os crentes são sacerdotes e têm livre acesso a Deus, o Pai (1 Pedro 2:5). O Senhor, porém, deu à Sua Igreja dons especiais para a sua edificação
(Efésios 4:11-12), e esse dons esses devem ser distinguidos dos ofícios (anciãos/ presbíteros e diáconos, cuja nomeação oficial hoje não é mais
possível devido à ausência dos apóstolos).

Essas são apenas algumas das importantes verdades das Sagradas Escrituras reconhecidas e postas em prática naqueles dias Por isso, após o seu desligamento da igreja oficial, abriu-se para John um amplo campo
de trabalho. Já em 1830, a obra se estendia de Dublin a Limerick e a outras cidades irlandesas. Também em Cambridge, Oxford e Plymouth (nome que, em parte, até hoje é mencionado em íntima ligação com os “irmãos”) e ainda em Londres eram realizados encontros da igreja, em maior ou menor escala. John viajava por todo o país a serviço do Senhor. Em 1837, John iniciou as suas atividades na Suíça e realizou um trabalho muito abençoado em Genebra e em Lausanne. Nos anos de 1840 a 1845, viajou outra vez pela Suíça e pela França, e a obra do Senhor continuou a se espalhar por esses lugares. Nos anos de 1847 a 1853, empreendeu outra vez diversas viagens a esses países, para atender as congregações e reunir os irmãos em conferências para o estudo da Palavra de Deus.

No início de 1853, John ouviu falar de um grupo de crentes da Renânia, região da Alemanha. Seguiu-se uma troca de cartas com Carl Brockhaus, que resultou em sua primeira visita a Elberfeld, em 1854. Durante a viagem, John se deteve alguns dias nos Países Baixos, onde fez a primeira visita aos
irmãos de Haarlem, Amsterdam e Winterswijk. Esses irmãos também estavam se reunindo à parte das denominações eclesiásticas.

Na primavera de 1855, John retornou a Elberfeld, a fim de iniciar a tradução do Novo Testamento para o alemão. Ele trabalhou em parceria com Carl Brockhaus e Julius Anton von Poseck até a tradução ser concluída. A tradução do Antigo Testamento foi realizada nos anos de 1869 a 1870. Nessa tarefa, Hermanus Cornelis Voorhoeve, da Holanda, ocupou o lugar de Julius Anton von Poseck.

John passou a maior parte do período de 1855 a 1857 no continente europeu, principalmente na França, na Alemanha (1855 e 1857), nos Países Baixos e na Suíça. De 1858 a 1859, ele permaneceu em Londres, onde trabalhou na tradução do Novo Testamento para o francês, cuja primeira edição foi impressa na cidade suíça de Vevey, em 1859. A tradução da Bíblia
completa em francês foi concluída em 1881 e contou com a colaboração de alguns irmãos.

Nesse meio-tempo, John traduziu e publicou, em 1870, uma tradução do Novo Testamento para o inglês (o Antigo Testamento foi concluído mais tarde, conforme as instruções que ele deixou). Em 1861, ele escreveu a um amigo: “Você sabe que sonho com um novo campo de trabalho, onde nunca estive e aonde o evangelho, tal como o entendo, ainda não foi levado. Não me alegro em visitar um campo onde já trabalhei, porque já se tornou algo velho para mim. Amo anunciar o nome do Senhor a pessoas que ainda não O conhecem.”

Esse desejo se cumpriu no final do ano de 1862. De 1862 a 1863, 1866 a 1868, 1870, 1872 a 1873 e finalmente de 1874 a 1877, ele visitou os Estados
Unidos e o Canadá. Durante a última viagem, visitou também a Nova Zelândia. Depois de sua última viagem para além-mar, John visitou mais uma vez a Alemanha, em 1878, a Suíça, a Itália e a França. Na avançada idade de 79 anos, voltou à Inglaterra, onde trabalhou como escritor até a sua morte, em 1882.

Suas obras completas, editadas pelo seu amigo William Kelly, compõe-se de 34 volumes, receberam em inglês o título The Collected Writings of J. N. Darby [A coletânia dos escritos de J. N. Darby]. Acrescente-se a isso sete volumes de notas e comentários (“Notes and Comments”), três volumes de miscelâneas (“Miscellaneous Writings”) e três volumes de cartas (“Letters”). Sua obra mais conhecida — e talvez a mais preciosa — é Synopsis of the Books of the Bible [Sinopse dos Livros da Bíblia – agora oferecido pelo DLC em formato digital], em que o autor apresenta um panorama de todos os livros da Bíblia. Ele é também conhecido como poeta. É bem conhecida a obra Spiritual Songs [Hinos espirituais] e muitos hinos no hinário inglês dos “irmãos”.

Os últimos meses de 1880 foram de muito sofrimento para John, com os seus problemas respiratórios e doenças do coração. Em dezembro, experimentou uma leve melhora, de modo que pôde escrever a um
conhecido: “Pela bondade de Deus, estou muito melhor. Na verdade, nem percebi quanto estive perto da morte. Embora já não com tanta frequência,
ainda posso ir às reuniões. Também posso fazer o meu trabalho costumeiro. É certo que nos meses que se seguirão haverá uma mudança, com a minha iminente despedida deste mundo, porém não há mudança com vistas à doutrina ou aos meus pontos de vista. Isso não mudou. Tudo foi confirmado. É um doce e lindo pensamento que tudo que ensinei aconteceu em Deus. Em meu íntimo, tenho certeza de que pertenço a outro mundo […] e por quanto tempo ainda pertencerei a este mundo, não sei. No final das
contas, a palavra do amado Senhor é a mais importante: “Não são do mundo, como eu do mundo não sou” (João 17:16). Nesse sentido, a mudança é perceptível, e a estou aguardando.”

Em 1881, John ainda estava trabalhando na edição de seu hinário inglês. No dia 15 de dezembro do mesmo ano, escreveu o prefácio para a Bíblia
francesa, que foi publicada em 1882. No final de janeiro, a sua condição física só lhe permitia cumprir metade das tarefas diárias. Nas últimas semanas de sua vida, foi recebido e cuidado na casa de um irmão
chamado Hammond, em Bournemouth. Foi ali que ele morreu, no dia 29 de abril de 1882. Numa lápide simples e branca do cemitério de Bournemouth ainda podem ser lidas as palavras:


John Nelson Darby
Como um desconhecido e bem-conhecido
faleceu no Senhor
a 29 de abril de 1882
aos 81 anos
2 Coríntios 5:21
Senhor, deixa-me esperar em Ti,
a minha vida seja consagrada a Ti,
desconhecido aqui na terra, servo Teu,
então herdar a felicidade do céu.

J. N. D.

Clique aqui para receber o seu exemplar em poucos minutos.

Clique aqui para começar a ler gratuitamente alguns volumes da “Sinopse dos Livros da Bíblia”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *